contatos@ronaldobezerra.com
85 9770.1807 - 8701.3387

Ronaldo A. Bezerra

terça-feira, agosto 23, 2011

AS SETE FESTAS DO SENHOR


Três Aspectos Das Festas

As sete festas do Antigo Testamento são um calendário cobrindo 3.500 anos de história espiritual. Da época de Moisés até a Segunda Vinda de Cristo.
1.       Elas se mostram:
·         Como Deus lidou como Seu povo no passado.
·         O que Ele queria que eles fizessem no presente.
·         E como Ele trabalharia com eles.

2.       Elas são um: “Cronograma” divinamente preparado, mostrando o que Deus está fazendo com o Seu povo e com a humanidade.
·         Veremos neste estudo como Deus já provou a importância destas Festas.
·         Deus usará as Festas como “Cronograma “ para o futuro.
·         Três aspectos principais.

          I.          Aspecto Passado (Histórico)
As Festas são celebradas em memória de algo que Deus já fez. Deus deixa memórias dos Seus feitos milagrosos. Eles são importantes e devem ser respeitados, ao invés de serem destruídos.
a.       A Páscoa aponta para trás e nos faz lembrar os eventos relacionados com a libertação de Israel do Egito.
b.      Pentecostes  comemora os acontecimentos no Sinai, quando Deus apareceu para dar a Moisés os Dez Mandamentos E aconteceu que, ao terceiro dia, ao amanhecer, houve trovões e relâmpagos sobre o monte, e uma espessa nuvem, e um sonido de buzina mui forte, de maneira que estremeceu todo o povo que estava no arraial” (Êx 19:16).
c.       Tabernáculos era para relembrar os israelitas dos anos em que habitavam em tendas no deserto. Que, num sentido espiritual “... eram estrangeiros e peregrinos na terra” (Hb 11:13b).

        II.           Aspecto Profético (Futuro)
As Festas apontavam para algo que Deus faria. Por exemplo: Jesus foi crucificado na Páscoa, ressuscitou na Festa da oferta dos Feixes das Primícias, e derramou o Seu Espírito sobre os discípulos que o aguardavam, cinqüenta dias mais tarde, no Pentecostes. Nenhum desses eventos foi acidental Foram épocas e estações divinamente designadas, cumprindo os aspectos proféticos das Festas. Os aspectos proféticos de Tabernáculos virão num futuro próximo, na consumação Era da Igreja.

      III.          Aspecto Pessoal
O significado destas Festas deve ser cumprido em nossas vidas. Cristo, por exemplo, precisa ser recebido como nosso Cordeiro Pascal. A nossa libertação do pecado e do inferno. “... Porque Cristo, a nossa páscoa [Cordeiro Pascal] já foi sacrificado por nós”n (I Co 5:7).
Todos nós precisamos ser batizados no Espírito Santo e experimentar o nosso próprio Pentecostes. Jesus nunca enviou a ninguém para pregar ou ministrar sem primeiramente ordenar que a pessoa fosse capacitada pelo Espírito.
“... Estando com os Seus Discípulos, ordenou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai,...” (At 1:4).

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário